30/01/2012

Sometimes life is weird


Ipê Amarelo[árvore típica do cerrado]

Depois de ter estado ausente numa viagem que considero ter sido uma experiência de renovação de vida, decidi que era tempo de escrever...
Fiz a minha viagem, encontrei-me comigo própria num espaço temporal muito diferente da minha rotina diária e, felizmente, consegui obter muitas respostas às questões que me acompanhavam há anos...naquele momento voltei a nascer...
As palavras que se seguem, apareceram-me à frente, apresentadas pela mão de quem comigo caminha há 23 anos e, julgo que se encaixam maravilhosamente, ao meu estado de espírito neste preciso momento.
"Aprende com o passado, não chegues ao fim da vida só para descobrires o que não chegaste a viver. A pessoa que nada arrisca, nunca saberá o que é a alegria ou a desilusão."

14/01/2012

Out of office:)

Sometimes is necessary to turn of the button and reboot the system...because I don´t believe in coincidences, I truly believe in...

13/01/2012

Ninja Power...

Depois de um pedido especial da minha Jolie...

12/01/2012

Revistas "cor-de-rosa"

A minha leitura deste género de publicações acontece, única e exclusivamente, quando estou nas salas de espera de um consultório médico. É também nestas alturas em que confirmo a minha opinião, daquilo que é a hipocrisia [in]consistente da nossa sociedade.
Naquelas páginas, tudo parece maravilhoso…As casas são todas fantásticas, os vestidos e as fatiotas, todas das melhores marcas, andam todos bem maquilhados, com cabelos arranjados como se a vida fosse uma festa diária. As famílias transparecem aquilo que se aproxima da mais pura perfeição, como se tivessem saído de um conto de fadas. As crianças parecem uns anjinhos e vestem-se de igual para fazer pandan entre eles ou então, com os pais.
Entretanto, as desavenças, os casos amorosos, os episódios de violência doméstica, os desfalques mais ou menos milionários, a pouca educação, os despedimentos sem justa causa, as falsas falências, o uso de estupefacientes, o alcoolismo e outros afins, ficam como se fossem um pudim, em banho-maria, a espera…
Estes são episódios para outro género de publicação...
the real life!

Couting days

That´s it...I'm almost in the place that I left a little piece of my life!

02/01/2012

After cooking the new year's eve dinner...

O ano mal havia começado e eu já estava a sentir uma sensação esquisita no meu estômago. Something like, butterflies in stomach! É uma sensação que, segundo os especialistas, habitualmente se sente quando estamos prestes a viver uma experiência de perigo eminente. Fisiologicamente, o nosso organismo liberta adrenalina em quantidade necessária para que, o sangue, deixe de estar localizado onde devia estar (no estômago) e se concentre nos músculos. A tensão aumenta, o apetite, diminui drasticamente e, em alguns casos, aparecem náuseas e vontade de vomitar. Parece impecável para quem quer fazer dieta no entanto, para quem não quer emagrecer, é uma sensação horrível!
Imagino que, na pré-história, esta sensação poderia ser aproveitada em dois aspectos diferentes isto é, para enfrentar ou para fugir literalmente de uma ameaça que, naquele tempo, era normalmente, um qualquer animal selvagem. O resultado era muito simples…Eras caça ou caçador!
Na vida moderna, sentimos estas sensações menos boas e muitas vezes não sabemos lidar com as mesmas. Não fugimos nem atacamos contudo, não sabemos o que devemos fazer. Costuma-se dizer, que é o stress, que é um reflexo dos problemas com os quais nos deparamos diariamente. Em resumo, parece-me que é o peso de muitas responsabilidades nos ombros de quem, não tem a musculatura suficiente, para suportar tamanhas façanhas.
Quando se é criança pensa-se que se pode mudar o mundo, que temos força suficiente para movermos montanhas.
As crianças, normalmente pintam casas com janelas, rodeadas de árvores, com jardim cheio de flores, com passarinhos a voar e, cuja localização, pode eventualmente ser perto de uma montanha ou de uma praia. A casa, esta pode ser térrea ou não porém, no céu, é imprescindível que uma criança não esqueça de desenhar um sol, de preferência enorme, com raios fortes para iluminar, para além do desenho…os olhos de quem se dignar olhar para o mesmo. Os meus desenhos eram assim...
Como é que isto tudo está relacionado com o meu estado de espírito? Não sei explicar…apenas apetece-me escrever para deixar registado este momento.
Lombo de porco assado
Espargos, castanhas e alho francês ao forno
Arroz de festa da Rô
Grelos salteados
Sobremesas made by Daniela Baptista
Bolo de laranja
Muffins de chocolate
pudim de leite condensado
salada de frutas pintada de mirtilos