25/11/2014

Nome de Código


Ontem enquanto ia à caminho de casa a ouvir a minha rádio de eleição, a rádio Comercial, percebi que o nome de código escolhido para a investigação policial que levou o antigo 1º Ministro de Portugal, José Socrates, ao xilindró foi "operação Marquês".
Posto isto, fui uma boa parte do percurso a pensar nos outros códigos de outras investigações e deparei-me com uma lista bastante interessante:
  • Labirinto (vistos Gold)
  • Carta Fora do Baralho (Desvio de correspondência)
  • Gun's n'Roses (apreensão de armas)
  • Cruz Verde (furtos a farmácias)
  • Irmãos Metralha (extorsão e outros crimes)
  • Face Oculta (tráfico de influência, branqueamento de capitais e fuga ao fisco)
  • Apito Dourado ou Caso da Fruta (corrupção no futebol)
  • Receitas a Soldo I e II (fraude no sistema nacional de saúde)
A lista é infindável e o curioso neste cenário é que eu gostava de saber quem é a pessoa ou grupo de pensadores que escolhem estes nomes. A criatividade deve ser um pressuposto imprescindível para fazer parte das fileiras das equipas de investigação.

22/11/2014

F12 no primeiro dia do fim-de-semana

O despertador que não devia tocar e tocou às 7h15.
Nada a fazer, levantei-me.
Fui colocar a máquina de lavar a roupa a funcionar.
Não funciona.
Tem inteligência artificial, mostra uma chave bloqueadora e F12 (que nos pc's serve para inspeccionar elemento).
Vim directamente à internet pesquisar o erro: Chamar assistência técnica.
Resumo desta manhã: tenho de pedir ajuda ao homem cá de casa, que ainda está a dormir, para inspeccionar a máquina. Eu já fiz de tudo e ela continua teimosa.

21/11/2014

Sapo ou Príncipe?

Não arrisquei a tentar perceber mas é isto que acontece quando se está no campo.

O sentido do nome deste vinho, só os brasileiros entendem...

Uma valente "periquita" com 3 litros, pelo módico valor de 67 euros e 80 cêntimos, no Jumbo (Pão-de-Açúcar), do Centro Comercial Dolce Vita Tejo. 

20/11/2014

Directamente do Estoril

Foi a visão de mais um final de tarde, da minha janela, do meu cantinho.

17/11/2014

16/11/2014

Confesso...

...que no dia internacional dos animais, enquanto milhares de pessoas espalhadas por este mundo fora partilhavam na internet fotos e vídeos dos seus bicharocos favoritos, euzinha aqui, transformei-me oficialmente na versão feminina do Arnold Schwarzenegger no filme o exterminador implacável. 
Vestida à rigor com máscara, óculos, dois pares de luvas em cada mão pois, se é para fazer uma cena digna do filme Hostel ou coisa que o valha, mais vale prevenir que remediar. Lá coloquei o veneno num recipiente próprio e sai para o jardim. Se algum vizinho ou vizinha me viu naquela linda figura, tiveram a certeza naquele momento que a família daquela casa ou pelo menos a matriarca, é definitivamente weird.
Exterminei centenas e quase me arrisco a dizer milhares de nóctuas ou roscas. São lagartas de solo que adoram a noite ou seja, são noctívagas. Na verdade o raio das lagartas estavam a consumir sem dó nem piedade, a matar sem nada que as impedissem, a relva da minha casa. Na minha santa ignorância, eu pensava que era falta de água (até porque o sistema de rega tinha estado desligado para arranjo e quem estava a regar a relvinha à mangueirada, era aqui a madame). Eu regava e nada, voltava a regar e a relva continuava a morrer. Tinha de ser outra coisa pois a relva já estava a morrer afogada segundo a minha teoria. Foi num final de tarde que percebi que estavam a sair debaixo da relva, uma borboletas (tipo traça, um nojo), então tive a certeza de que era uma praga e apliquei um veneno próprio. 
Depois de aplicar o veneno e ter regado a relva em toda a sua extensão fui dormir à espera de ver os resultados no dia seguinte.

13/11/2014

A nossa horta biológica

Foi pensada em pormenor com resultados muito acima da média. Já não compro vegetais há imenso tempo. Destas caixas já colhemos de tudo um pouco e vamos alternando a plantação, de acordo com a sazonalidade dos produtos. Apenas como ideia de referência já colhemos abóboras, courgettes, pimentos, feijão verde, batata doce, alho francês, Alfaces, tomate chucha, cacho, coração de boi, e tomate cereja, quiabos, pepinos, berinjela, cebola roxa, couves de diferentes variedades, acelga, almeirão, rúcula, rabanetes e basílico (manjericão). 
Experimentamos algumas frutas como por exemplo: Meloa da Galia, melão, melão pele de sapo e melância porém, depois da colheita, verificamos que não eram doce o suficiente. Desistimos das frutas e apostamos nos legumes e vegetais.
Neste momento temos: nabiças (muitas), espinafre, pimentas de diferentes variedades, couves para o Natal, ervilha torta, favas (da pequena), os pimentos continuam a dar, as berinjelas também, cebola branca, cebolinho, alho francês, alface e quiabos.
É 100% biológica. Somos exterminadores implacáveis de lagartas e quaisquer outros seres indesejáveis. Tudo à mão e, se for de noite, à base de lanterna para não falharmos nenhum spot.
Fica a sugestão para quem quiser arriscar. A madeira foi comprada à medida na Sobreira & Serras (Cacém). Para a madeira não abrir com o passar do tempo, foi colocado internamente, um sistema de aço em vários pontos (na largura). 
Início da Horta 01/06/2014
20/09/2014

10/11/2014

Endless River...Why us?

Quando pensas que o improvável não acontece, ele acontece mesmo à tua frente...
Depois de estarmos desde 1994 a espera de uma surpresa dos Pink Floyd, eis que é chegado o dia D, o lançamento do ábum Endless River que o meu marido encomendou há mais de um mês.
Tudo bem se não tivesse acontecido aquilo que vos vou contar sem entrar em grandes pormenores da alegria  e entusiasmo do momento onde, até uma garrafa de espumante foi comprada para a comemoração. 
A reserva do álbum (cd+dvd) foi feita e paga há mais de um mês. A caixa que foi levantada na FNAC do Cascaishopping hoje, estava bem até ao momento que abrimos a mesma aqui no nosso cantinho, na nossa casa. Até aqui tudo impecável, verificamos todos os pormenores enquanto íamos abrindo a caixa do álbum. Ficamos encantados com os postais/fotos que fazem parte do pacote, eu ainda brinquei um bocado com um postal "movimentado" que faz os olhos andarem meio de lado e lembrei-me do lado psicadélico da coisa (tudo normal). Era só animação, com espumante à mistura também não esperava outra coisa. Tirei fotos antes de abrir o ábum, queria tudo imaculado e olha lá no que deu...
De repente, meu marido sai-se com esta: - acho que não veio o DVD! No meio do entusiasmo, não queríamos acreditar e ainda colocámos a hipótese do CD e DVD serem a mesma coisa, tipo um dois em um. Estávamos enganados.
Fomos à net e lá entrei em contacto com o apoio ao cliente da FNAC. Acho que nem mesmo eles entenderam muito bem aquilo que aconteceu...É que foi mesmo uma pouca sorte do caraças para não dizer uma asneira cabeluda...Eu, sentada a frente do meu marido à mesa do jantar, a ouvir o novo disco dos Pink Floyd e a beber uma taça de espumante, só conseguia ter pensamentos para a linha de montagem daquela box que veio parar aqui em casa. Na minha cabeça imaginava alguém muito aflito para ir à casa de banho fazer um xixi que aguentou um dia inteiro ou então, alguém que tinha comido uma feijoada com tanto picante que aquilo deu lá voltas ao intestino e a alma teve de correr para não fazer má figura a frente do patrão...quem ardeu quem foi? Foram aqui os tugas do Zé e da Rô que estão a espera desde 1994, por este momento. Ainda telefonei para a FNAC mas o insólito é tão insólito que amanhã, o Homem cá de casa vai ter de ir lá pessoalmente, fazer o desenho daquilo que aconteceu!

06/11/2014

Dedicado ao meu irmão mais velho - FELIZ ANIVERSÁRIO

[1978 - Rosângela-9 anos; Jorge-16 anos]
Hoje é o dia de aniversário do meu irmão mais velho. O único dos irmãos que não tem um nome começado com a letra R. A escolha do nome aconteceu em honra de São Jorge porque contam os nossos pais, que a gravidez esteve em risco e que o pequeno nasceu prematuro, então, eles fizeram uma promessa para o Santo que luta com o Dragão, na esperança que as coisas corressem pelo melhor...e o pequeno prematuro, Jorge de seu nome, aguentou-se como um lutador. Dos 4 irmãos, ele é o mais alto ou pelo menos acho que ainda é.
Fomos sempre próximos um do outro e tendo em conta a  nossa diferença de idades, ele foi sempre o meu paitrector (mistura de pai com protector), pelo menos era assim que eu o via e sentia a nossa relação.
Era um rapaz muito estudioso, andava sempre à volta dos livros e era bom aluno, com boas notas e um bom filho. Era o primogénito e este posto dava-lhe alguns privilégios de uma sociedade conservadora e machista que nunca consegui entender muito bem mas, era a conveniência de outros tempos onde as meninas não tinham de entender nada, tinham de ser obedientes e sem rebeldias pelo caminho.
Lembro como se fosse ontem quando ele concorreu para a Universidade de Brasília (difícil como tudo) e julgo que em simultâneo, concorreu também para a Academia da Força Aérea Brasileira. Queria ser Piloto de aviões e ainda fez umas voatanas! Fez carreira na intendência mas tem um cunhado que é Comandante. Alguém tem de voar na família não é?
Viveu uma grande parte da sua vida em Pirassunga (AFA) e nunca mais voltou definitivamente para a casa dos nossos pais. Vinha de férias e tinha uma paciência santa em explicar aqui para esta menina (na altura), todas as dúvidas que eu tinha na tão dolorosa matemática que teimava em me deitar abaixo. Ele explicava e eu não entendia. Ele explicava novamente e eu não entendia mesmo nada, então, eu chorava copiosamente porque tinha medo da matemática, tinha medo de ter más notas, tinha medo de decepcionar o meu pai que tanto se esforçava para conseguir que eu tivesse direito à bolsa de estudo, para que eu pudesse estudar em colégios onde andavam os filhos dos senadores, dos deputados e outros da elite de Brasília. Meu irmão era paciente mesmo sem entender a razão da minha lentidão de raciocínio numa matéria que ele dominava na perfeição.
Foi ficando muito escassa a nossa convivência por questões naturais da vida e meu irmão deixou de me conhecer. Não me viu crescer em certos aspectos e não sabia aquilo que me fazia feliz e o que me entristecia. Seguiu a sua vida mas nunca deixou de ter um lugar especial no meu coração. Parabéns pelo teu aniversário e muitas felicidades!

03/11/2014

São Martinho (castanhas e vinho novo)

Durante anos enquanto as minhas pequenas eram mesmo pequenas, ouvíamos uma música que lhes foi ensinada no infantário com todo o encanto alusivo às castanhas assadas.
Agora as minhas pequenas já estão espigadotas e o magusto como todos os anos, está à porta. Na falta da música cantada pela doce voz de uma criança, venham as castanhas assadas e o vinho novo que o que se quer é festa! Com sorte e depois do vinho, pode ser que eu me atreva a cantar mas, aviso desde já que os que me rodeiam...
...têm de beber o dobro daquilo que estavam a planear (para não dar conta da desafinação aqui da madame).

"No meu bolso guardei, meia dúzia de castanhas...
De tão quentes que estão, ainda queimo a minha mão...
Vou dá-las ao pai, vou dá-las à mãe...
Castanhas quentinhas que sabem tão bem!"

01/11/2014

A melhor foto do halloween...

...foi partilhada por uma amiga minha através do facebook. Na minha opinião é a melhor foto de animais em ambiente halloweendesco na língua de camões, que eu já encontrei. 
Como tive oportunidade de dizer à C.C.: 
- amei de paixão, posso "roubar" a foto?